sexta-feira, março 02, 2007

Forja

Uns dias atrás, eu postei sobre a minha doença, e meu pai comentou qualquer coisa sobre isso, lamentando o "sofrimento" que eu estou passando.

É bem verdade que eu me sinto miserável, solitário, desamparado, e abandonado de vez em quando, e posso até falar umas bobagens neste sentido. Mas, dadas as minhas atuais condições, eu não acredito que eu esteja sofrendo tanto assim. Muito mais gente passa por coisas muito piores do que dormir uns mêses no chão, ficar doente num país estranho, ou se sentir sozinho e sem ter com quem conversar.

Muita gente tem problemas infinitamente maiores que os meus, e não sabe nem como fazer para se livrar deles. Eu sou um cara sortudo, eu sei como resolver 99% dos meus problemas sozinho.

Muito melhor que isso: eu sou um cara poderoso: eu estou resolvendo (com percalços, como todo mortal) todos os problemas que eu tenho. Leva tempo, a gente se desgasta, mas resolve.

Agradeço muito que você se preocupe comigo, pai. Também sou grato por cada mensagem de todos os amigos que têm acompanhado a minha odisséia. Mas por favor não ache que isso pelo que eu estou passando está me fazendo mal. Isto é forja, e depois da forja, vou ser aço, muito mais forte do que o ferro que iniciou o processo.

Isso vale para todo mundo: olhe para frente, pensa no resultado final. Nem todos os meios justificam os respectivos fins, mas um pouco de sofrimento faz parte da vida.

Nenhum comentário: