segunda-feira, março 26, 2007

País Novo, Sistema Construtivo Novo...


Putamerda. Nunca na minha vida eu pensei que eu, euzinho, nota 10 na saudosa ETFSP em todas as matérias relacionadas com instalações elétricas, pudesse sofrer tanto por causa de umas luminárias...

Mas eu sofri. Primeiro, achei que precisava de parafusos, para fixar as luminárias no teto. Este é o sistema ANSI, que eu aprendi na escola técnica. Mas aqui, não se aplica a norma ANSI, sempre que isso for aplicável.

Ainda acreditando que eu precisava de parafusos, fui procurar uma loja de material de construção (bouwmateriaalwinkel). Não foi muito complicado encontrar uma. Mas, quando eu entrei na loja, aconteceu uma coisa muito rara: encontrei um holandês que não sabe falar inglês. Claro, tinha de ser quando eu mais precisava de alguém capaz de falar inglês comigo. Foi preciso muito gesto e a ajuda de outros clientes, mas eu me desenrolei, e comprei vinte "parafusos mecânicos número 4, com rosca para material elétrico, sem ponta" (sim, existe uma palavra para isso em holandês; não, eu não fui capaz de reproduzi-la aqui...)


Chegando em casa, descobri mais um aspecto da praticidade holandesa: os lustres tem um anel, na parte superior, que forma a base da estrutura do lustre, e que é utilizado para pendurar o lustre num gancho (plafondlamphaak) no ponto de luz.

Depois que eu descobri isso, e parei de me sentir um completo idiota, colocar a maior parte das minhas lâmpadas foi moleza, e eu terminei em tempo de ir ao supermercado e buscar minha roupa lavada na lavandeiria local (que é mantida por um turco muito asseado – grande paradoxo!).

Por outro lado, domingo foi o dia nacional da preguiça. Eu passei aspirador na casa inteira, lavei meus dois banheiros (aliás, um banheiro e meio, mais detalhes sobre isso no outro artigo), e ainda tive tempo e paciência para voltar a ler os meus livros do Harry Potter. Como as história é muito boa, eu tenho certeza de que vou conseguir terminar de lê-los mais uma vez antes que Harry Potter and the Dark Hollows seja lançado mundialmente, o que não parece ser para breve, já que o livro ainda não tem data de lançamento. Mas o pessoal da livraria já está aceitando reservas, pela módica taxa de 5,00€.

Ah, é verdade. Durante o final de semana, a televisão holandesa anunciou o horário de verão, que entrou em vigor no sábado à noite. Eu, como sou falante nativo de holandês, vim a descobrir que o horário de verão estava valendo quando subi no tram para ir trabalhar esta manhã, ainda pensando que eu chegaria cedo no trabalho, hoje, e li no relógio do tram que eu estava uma hora atrasado.

Atenção, navegantes! Agora o (con)fuso horário está em +5 horas, para quem está em GMT-3 (também conhecido como "horário de Brasilia" em Terras Tupiniquins). Por favor não me acordem no meio da madrugada com telefonemas!

Chega! Eu tenho muito (mais) o que fazer da minha vida hoje...

Um comentário:

Alexei disse...

Fields, duas coisas:

Primeiro, não adianta NADA você escrever as palavras em holandês. Quando um deles falar aquilo vai ser outra coisa completamente. Os holandeses são loucos, eles usam as letras com sons diferentes. Loucos. :-)

Segundo, para as pessoas não te acordarem de madrugada, mande esse link pra elas:
http://www.timeanddate.com/worldclock/personalapplet.html

É só configurar as cidades, salvar, e guardar o bookmark. ;-)