quinta-feira, maio 03, 2007

"Tropeçou, caiu, machucou, tem de ser... tem de ser..."

... panaca.

De outra forma, não teria tropeçado e caído no chão tentando alcançar o ponto do tram, teria esperado o próximo, que passou cinco minutos mais tarde.

Claro, agora eu estou com o tornozelo do tamanho de uma maçã grande, e dolorido. Mas vou sobreviver.

Como a assistente do médico não é capaz de abrir o livro de consultas para anotar nada depois do meio-dia, amanhã vou marcar uma consulta e aparecer no médico, ele deve saber o que fazer comigo.

Bom, como tudo nesta vida, tem um lado bom: eu descobri uma loirinha charmosa e bonita, dos olhos azuis (e o Nélson lembra da minha promessa de ano-novo), que veio até mim saber como eu estava quando eu caí, o que, no meu bairro, é um grande progresso: eu estou cansado de ver garotas de burca e véu para cima e para baixo...

Lamentavelmente, eu não tive presença de espírito para perguntar o nome ou o telefone dela. Mas sei que ela mora ali perto, estava saindo de casa naquela hora. Mais novidades sobre isso quando o acaso me permitir saber.

Nenhum comentário: