sexta-feira, março 06, 2009

A busca de um lugar para mim

Há algum tempo atrás, eu comecei a pensar seriamente em me comprar um lugar para viver.

Não que eu não goste do apartamento onde eu vivo agora. Apenas que eu acho que vou ficar mais confortável. Tem muitas coisas que eu me recuso a fazer simplesmente por que eu sei que um dia vou precisar deixar o apartamento onde eu vivo agora.

Com isso na cabeça, eu comecei a olhar os anúncios de apartamentos nos websites que me recomendaram aqui em Amsterdam. Não levou muito tempo para eu conhecer a maior parte dos apartamentos à venda, e saber que a maior parte deles não tem o que eu quero. Pelo menos, não nas fotografias.

Os apartamentos em Amsterdam são minúsculos, para o meu padrão. Têm, em média, entre 30 e 50 metros quadrados de área útil. São, na sua esmagadora maioria, providos de um quarto, uma sala com cozinha americana (mas que ironia, nunca pensei que iria encontrar isso na Europa...), um quartinho de 1.5 metros quadrados que serve como lavanderia, uma sacada onde cabem no máximo duas cadeiras e uma mesa bem pequena (ou quatro vasos de plantas, se você já passou pelo curso de inburgering).

O banheiro e o toillete (ou WC) são sempre separados, o que quer dizer que o holandês não lê o Pato Donald no mesmo lugar onde se toma banho, nunca. Finalmente, o quarto é tão pequeno que, na maior parte das vezes, é preciso passar por cima da cama de casal para abrir a janela que fica "do outro lado" do quarto.

Claro, eles são "brilhantes" com a arquitetura, e tudo é distribuído na casa como eles distribuem o nariz deles. Eu tenho certeza absoluta que eu fiz melhores projetos para casas com esta área útil (ou muito menor) enquanto cursava Edificações na Escola Técnica Federal de São Paulo, na minha adolescência. Eles conseguem desperdiçar com corredores enormes para conectar uma sala que dubla de cozinha ao único quarto da casa, deixando nenhum espaço para janelas tanto no WC quanto no lugar (não me atrevo a chamar aquilo de "quarto") onde se lava a roupa.

Em resumo: os apartamentos em que eu gostaria de morar em Amsterdam começam nos 750.000,00 euros, e vão seguramente até mais de 5.000.000,00 Euros (sim, eu escrevi certo, são cinco milhões de Euros).

Claro, tem suas vantagens. Como eu tenho emprego fixo e sou um profissional altamente qualificado, os bancos aqui aceitam facilmente me emprestar todo o dinheiro que eu preciso para comprar um apartamento sem reclamar e sem que eu precise implorar para isso funcionar.




Esta semana, na terça feira de manhã, eu fui ver um apartamento que me chamou a atenção, não muito longe da estação de metrô de Lelylaan. É um bom lugar, bem conectado (tem trem, metrô, ônibus, e tram a uma quadra de distância), tem comércio básico bem pertinho, e fica um pouco mais perto do centro de Amsterdam do que eu estou vivendo agora. Isso talvez me ajude a sair mais de casa para passear, que é uma coisa saudável e que eu preciso fazer com mais frequência.

Eu ainda estou em fase inicial de conversação, e nem tenho certeza de que vai acontecer qualquer coisa, mas pode-se dizer que, de todos os apartamentos que eu posso comprar aqui, este é dos poucos que eu gostei e que eu considero relativamente bem localizado.

Agora, é esperar o próximo capítulo... neste mesmo blog, talvez no próximo post...

Um comentário:

Mommy disse...

Eu só te desejo muito boa sorte!!! - E que encontres o teu "casinhoto" de perfeição!!!

jinhos