sábado, julho 25, 2009

Carta Aberta ao SERPRO

Prezados senhores,

Escrevo esta ao superintendente Ricardo Jucá <ricardo.juca@serpro.gov.br>, responsável pelo Sistema de Controle e Emissão de Documentos de Viagem, que pode ser alcançado via World Wide Web em scedv.serpro.gov.br.

Eu envio esta também aos senhor auditor Angelo José Bezerra <angelo-jose.bezerra@serpro.gov.br>, ao senhor diretor-presidente Marcos Vinícius Ferreira Mazoni <marcos.mazoni@serpro.gov.br>, ao senhor diretor-superintentende Gilberto Paganotto <gilberto.paganotto@serpro.gov.br>, ao diretor José Antônio Borba Soares <jose.borba-soares@serpro.gov.br>, e ao Editor do jornal O Estado de São Paulo, para me certificar de que a reclamação será escutada e atendida com prestreza e eficiência exemplares.

Eu sou um profissional da área de tecnologia da informação Brasileiro, que vive e trabalha em Amsterdam, nos Países Baixos.

Para as minhas férias deste ano, convidei a minha namorada para conhecer o Brasil. Como ela precisa de um visto, me dirigi ao Consulado Geral do Brasil em Rotterdam para obter informações sobre como proceder para solicitar um visto de turista.

O Consulado foi prestativo e eficiente, me informando que as solicitações de visto são efetuadas por meio de sistema eletrônico disponível pela World Wide Web. Assim, basta acessar à página [scedv.serpro.gov.br] e seguir as instruções.

Por razões completamente desconhecidas para os usuários do website, este não apenas funciona mal como não emite os documentos e protocolos esperados.

Após preencher na totalidade o formulário, o sistema apresentou uma mensagem -- presumivelmente um erro, já que a aplicação nem gera o número de protocolo ou disponibiliza o documento que deveria ser gerado -- pouco esclarecedora (veja abaixo), nenhum prazo para o reestabelecimento das funcionalidades, e nenhum contato de suporte técnico.



Ao explicar isso ao Consulado Geral do Brasil em Rotterdam, por telefone, ontem (24/07/2009), o funcionário que me atendeu, mais uma vez foi prestativo me informou que eu poderia simplesmente ignorar o formulário eletrônico e comparecer pessoalmente ao consulado, portando os documentos requeridos, e o consulado trataria da solicitação.

Desnecessário dizer que além de frustrado, eu não consigo compreender como é que um organismo do tamanho e responsabilidade do SERPRO não monitora aplicações vitais para o bom funcionamento das relações internacionais e turismo no Brasil.

Eu gostaria de receber uma explicação dos senhores explicações para a falta de qualidade de um serviço tão visível para a comunidade internacional, que está manchando o bom nome do Brasil como bom destino turístico: se nós não somos nem mesmo capazes de emitir vistos para os interessados em visitar o Brasil, quem sabe como é que vamos recebê-los por aqui?

Eu aguardo uma resposta positiva, assertiva, e esclarecedora sobre as razões pelas quais um formulário tão simples quando o citado não se encontra em perfeito estado de funcionamento. Também aguardo uma explicação para a falta de monitoramento do serviço, que é o mínimo que se espera de um organismo especialisado em tecnologia, como o SERPRO.

Sem mais para o momento, deixo a todos as minhas mais cordiais saudações. Até breve.

Um comentário:

Anônimo disse...

Você já viveu muito tempo fora do Brasil. Isso aqui é a coisa mais normal do mundo, as coisas não funcionarem, principalmente se vier do governo...
Flavio Viola